terça-feira, 9 de dezembro de 2014

(colocando flor-da-se)

1)         Onde você flor
            atrás eu voo

2)         Tudo que flor,
            murcha

3)         O que flor pra ser,
            será

4)         Se olho flor for
            te lamberei as
            pétalas 

5)        Quando foste flor,
            fui foda-se 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Palavras
Saem por aí com o vento,
Hora mansas, hora violentas
Se caem possui força suficiente, levanta! Ditas por vingança, traz sorrisos falsos.
É esperto quem as tem.
É poderoso quem as conhece.
É sábio quem as domina!
Podem lhe dar alegrias, mas também trazem dor
Fadado a morrer quem as esconde em seu interior.
Mil não tem o significado de uma!
São as mais fortes armas dos homens.
Uma é capaz de desfazer um amor outra pode ama-lo.
Certeza que temos?
Por mais brutas que sejam as tempestades, as palavras sempre voltam com o vento.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

28 ou quero dizer 18?


já não me incomodam os pelos
e já caibo melhor neste corpo de
17 quase 18 anos

embora não saiba ao certo 
quando mesmo deixei os 15
e nem se é verdade o papo dos 20

foda-se
mais uma vez
foda-se
vamos lá, comigo
foda-se

sopra velinhas
faz pedidinho
e corta o bolinho
de baixo pra ciminha

que seja feliz,
que não morra sozinho
nem tão cedo
dois pontos


tudo me incomoda: os pelos, o corpo, os anos, os 20, o foda-se e as velhas do bolo

domingo, 7 de setembro de 2014

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

26 (menos do que isto, menos de um mes para tornar)

isso então...
é o mesmo que antes
ou que da outra vez
ou da vez anterior a essa.
eis um pau
e eis uma boceta
e eis um problema.
a cada vez
você pensa
bem eu aprendi desta vez:
vou dizer a ela que faça isso
e eu farei isto,
já não quero a coisa toda,
só um pouco de conforto
e um pouco de sexo
e apenas um mínimo de
amor.
agora novamente espero
e os anos vão escasseando.
tenho meu rádio
e as paredes da cozinha
são amarelas.
sigo esvaziando as garrafas
à espera
dos passos.
espero que a morte reserve
menos do que isto.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

25 (feito pizza)

verdade não é
pra poeta
é pra poema

não tem cara
célula da pele
não se pode
acariciar
estuprar
fatiar feito pizza
como tudo
é bela eterna
até que se observe

é pena
que o poeta exista!
o poema era
belo eterno
antes do lápis
manchar o papel de
funk
porra e
pizza

o pão
não precisa
da fome

a água
não precisa
da sede

o poema
não precisa
do poeta
assim como
o gozo
não precisa
do pau

24

Um subtitulo
fevereiro vem sempre
depois de janeiro
o ovo sempre depois
de alguma coisa
a galinha assada frita cozida
está sempre morta no prato
se uso garfo mão
não importa
está sempre morta

algumas coisas escolho
como bater um bolo
se pulo, se voo
quando verão não
quando é verão

o óbvio é bonito
precisa ser dito:
tua boca cabe
numa metáfora

preciso dizer!
preciso dizer!
preciso dizer!
mas escolho
deixar morrer. 

na distância que crio
(para manter a forma)
você se deforma como
aquelas gelecas, sabe?
é uma imagem triste,
como pagode e praia.
sabe?

e é por isso que digo:
a vida é boazinha
deixa sempre escolher
depois de já ter escolhido

23

Eu sou essa gente que se dói inteira porque não vive só na superfície das coisas.” 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

22

esse vai ser um poema bonitinho 
como a flor de uma planta carnívora
as asas de uma mosca 
e as tetas daquela moça

esse poema bonitinho 
é feito pra colar na geladeira, 
pendurar no varal ou
pra ler de cabeça pra baixo num domingo 
ele não serve pra nada, diga-se lá
ele é só bonitinho:
como um melão, uma abelha,
o Faustão e os dedos da sua mão

ele é bonitinho,
como tudo quando acorda,
mas não serve pra nada,
como tudo quando acorda,
bom dia!

terça-feira, 22 de julho de 2014

20

Que sejamos doce,
ao ponto que o tempo nunca amargue
Que a felicidade esteja em nós, 
de um jeito que a tristeza nunca estrague.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

19

não sei qual meu filme preferido
não sei qual meu livro preferido
nem a música, nem a comida, nem a cor
não sei falar sem gaguejar 
e fico desenhando coisas pra me culpar
aos domingos, me sinto muito sozinho
e na segunda como semente de cacau
quero retardar o envelhecimento
mas sete vezes por mês penso
como seria bom morrer jovem
gosto de muitas pessoas
gosto muito do meu estilo
cada vez mais gosto de muitas pessoas
cada vez mais gosto do meu filme preferido
mas fico criando distâncias
distribuindo o tempo na agenda
não sei dizer qual animal eu seria
então me imagino bem longe da Terra
depois bem dentro dela
imagino quanto eu aguentaria no supino
se a vida da minha mãe estivesse em perigo
hoje minha orelha é minha parte preferida
é clichê dizer que nada faz sentido
mas faz sentido sentir isso tão forte
aos domingos?

domingo, 13 de julho de 2014

18

                                                                (Autor Desconhecido)

sábado, 12 de julho de 2014

17


eu quero dormir
no mesmo instante
 
que você 
 
pra te encontrar
no sono

das coisas

sexta-feira, 11 de julho de 2014

16

Eu seios, cê lábios.
Nós um, agora.
Me mostre o seus... seios.
Os meus? são teus anseios.

                          13, Poetar. Festivale 2014

15

Atualmente
a tua mente
atua ou mente

terça-feira, 8 de julho de 2014

13

E eu perdoaria facilmente seu orgulho 
                                                        
                                                              se ele não tivesse mortificado o meu.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

domingo, 6 de julho de 2014

10

Despedidas
sempre tão tristes
tão chorantes
tão chocantes

O melhor da despedida (não tem melhor)
é a certeza do re-encontro
O pior da saudade (castigante)
são as lembranças

quarta-feira, 25 de junho de 2014

9

vou repetir
até cansar de pedir
a minha obstinação
é a única ação
que conheço
já que não sei
o que mereço

sábado, 21 de junho de 2014

8


Inverno

dias mais curtos

sair, jamais
ficar, sempre

Inverno
quietude
calma
Inverno

FRIEZA

sexta-feira, 20 de junho de 2014

7

quero te engolir; 
deglutir tua língua procurando a minha; 
esquadrinhar tuas papilas; 
mergulhar por tua goela abaixo; 
contar o que brilha no céu da tua boca; 
ficar melhor amigo das tuas bactérias; 
arrancar teus mais biológicos segredos; 
quero mergulhar (sem cueca) por tua goela abaixo; 
e me pendurar na tua úvula; 
nadar crawl no teu esôfago;
te conhecer de cabo ao rabo;
morder o lado esquerdo da tua bunda; 


só me interessa a sua violência

te engolir dos pés até a cabeça;
depois cafuné, tomar café;
ver amarelar teus trinta e dois dentes;
de manhã, amolar com calma teus caninos;
sentir o vermelho da tua mordida;
quero teus cabelos me prendendo no pé da sua cama;
teu pé amando meus ouvidos;
e tua saliva lavando minha orelha;
fechar os olhos e correr perigo. 

6

Um de nós
                 vai sentir a                                     de um de nós!
                                                falta

5

"Tudo se des
                    estrutura pra você se
                    estruturar."

                                                                                                      Jeneci, MARCELO. Alento

4

às vezes acordo minúsculo
outras em caps lock

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Sobre mim


''Quando nasci veio um anjo safado
O chato dum querubim
E decretou que eu tava predestinado
A ser errado assim
Já de saída a minha estrada entortou
Mas vou até o fim''
                Buarque, Chico. HOJE 70's

2

sua falta
devagar
por dentro
me asfalta

1

ti imaginu sem roupa
ou cum muito pouca
the weather is blue
mas dou zero clue
di qui eu nem tanto